As Pechinchas de Buenos Aires

El Once

El Once

Se você achava que fazer compras em Buenos Aires era barato, é porque você ainda não conheceu alguns segredos muito bem guardados que só os locais conhecem. Por isso, chamei um autêntico porteño, Sebastián Espinoza, para soltar o verbo e contar um pouco onde encontrar essas jóias escondidas sem muito esforço. Esqueça a Calle Florida ou Mercado de Antiguidades de San Telmo – é só abrir um pouco a cabeça que tem um mundo baratíssimo ao seu alcance na cidade.

Sebastián Espinoza

Sebastián Espinoza

Lugares pouco convencionais para ir às comprar em BsAs

Um dos maiores centros comerciais da Argentina está no coração de Buenos Aires, entre as avenidas Pueyrredón, Callao e Rivadavia – nas costas do Congresso. É uma zona que muitas vezes é ignorada pelos turistas e raramente é recomendada a eles nos hotéis da cidade.

Clique aqui para dicas sobre o câmbio de dinheiro na cidade.

Na verdade, todo o porteño que se preze nega frequentar, embora mais cedo ou mais tarde acabem lá, nessa cidade dentro da grande cidade, conhecida popularmente como Once. Não pergunte a origem dos produtos, pois provavelmente sua procedência é duvidosa. O que compensa são os preços inverossímeis. O Once é um labirinto cheio de segredos que, com cuidado e paciência, esconde excelentes negócios. Mas como encontrar agulhas interessantes no meio desse palheiro tão intrincado?

Vamos aos fatos: aqui vive a sétima maior comunidade judia do mundo em meio a um patchwork de nacionalidades sul-americanas e gente que chega todos os dias das províncias para encher o bagageiro e revender nas suas cidades de origem. Esse povão enche as calçadas praticamente todos os dias, sobretudo a tardinha, e sabe muito bem onde encontrar aquilo que está procurando.

Quer comprar roupa? Vá diretamente a rua Castelli entre Corrientes e Rivadavia. Aí você irá encontrar camisetas, calças jeans, lenços e meias. Comprando em quantidade tudo fica mais barato. Se a ideia é se encher de bugigangas, para uma festa por exemplo, na rua Lavalle entre Callao e Pueyrredón se encontra de tudo! Agora, se você estiver dando uma guaribada na décor de casa, tem que explorar a rua Pasteur entre Corrientes e Rivadavia. Para você ter uma ideia, eu já encontrei aqui por 29 pesos um relógio de parede que estava sendo vendido a 150 numa conhecida loja da moda em San Telmo.

No caso de que você se anime e resolva ir à forra, na esquina de Castelli e Sarmiento há toda uma oferta de carrinhos de compra e grandes bolsas de lona, no melhor estilo sacoleiro. Mas vá prevenido: poucos lugares aceitam cartão de crédito e não é fácil encontrar bancos.

Por outro lado, é preciso ficar sempre de olho aberto, já que, como toda grande aglomeração, existe um problema de segurança. Não se tratam de modalidades violentas, mas de pequenos furtos, sobretudo de celulares, às vezes de forma bastante criativa. Ultimamente, por exemplo, têm sido relatados casos que começam com uma mancha de mostarda. Sim, o bandido se aproxima, joga mostarda na sua roupa e, enquanto você está atordoado se perguntando que diabos é aquele borrão amarelo na sua camiseta, o desgraçado faz a limpa.

Outra meca do consumo de pechincha em Buenos Aires, que atrai uma horda de brasileiros durante todo o ano, é a mítica zona dos Outlets. Aí, você poderá encontrar sobretudo roupas com descontos exclusivos, em geral de temporadas anteriores ou com defeitos quase imperceptíveis.

Esta zona está a poucos metros das partes mais elegantes do bairro de Palermo, embora, é preciso esclarecer, esse seja apenas um dos diversos polos de outlets de Buenos Aires. O ponto mais clássico é a Avenida Córdoba entre as ruas Pringles e Serrano, onde se podem encontrar famosas marcas argentinas como Ona Sáez, Kosiuko, Caro Cuore, Bensimon, Paula Cahen D’Anvers e Rapsodia, e também a mundialmente conhecida Levi’s. Mas se você explorar a rua Gurruchaga, entre Córdoba e Corrientes, se abre um leque que inclui Cacharel, Armani Exchange, Puma, a famosa marca de produtos de couro Prune, Timberland, Hush Puppies, Gola, Lacoste e Bowen.

Vá durante a semana no horário do almoço, porque está menos cheio. Ninguém quer disputar um lugar no provador ou ficar se acotovelando por um produto irresistível, né?

Diferente do Once, aqui há uma grande oferta de bancos e todos os lugares aceitam cartão de crédito – sem falar de dólar ou real, que têm cotação muito atrativa para o turista.

Por fim, para quem estiver de mudança pra cidade, existem alguns lugares imperdíveis para dar um pouco de estilo à decoração da sua casa sem gastar uma fortuna.

O segredo mais bem guardado é a companhia de mudanças Verga Hnos., uma das mais antigas da Argentina. Em geral, nos sábados a partir das 11 da manhã, é feito um leilão de móveis usados – você pode ver as fotos e obter mais informações no site da empresa, na seção “remates”. Eles têm um showroom no bairro de Almagro, pertinho de Palermo (rua Bulnes, 457) e o único inconveniente é que, por ironia, a empresa de transportes não faz a entrega.

Outras mecas de objetos de casa muito baratos é a loja do Exército da Salvação no bairro de Pompeya (Av. Sáenz, 580) – todo o dinheiro arrecadado vai para a organização – e o Mercado das Pulgas de Palermo, aberto de terça à domingo das 10 às 19. Nesse último, os preços são um pouco mais salgados, mas a qualidade dos produtos compensa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s