Os Melhores Bares Porteños

buenos-aires-noche

Dizem por aí que a Argentina está em crise, outros refutam essa tese. E se tem uma coisa que dá uma força para o segundo grupo é a vida noturna da cidade, mundialmente conhecida pela variedade e pela animação. Não importa qual é a sua… da intensa oferta cultural nos grandes teatros da avenida Corrientes ou nos núcleos independentes do Abasto e Almagro, até os famosos boliches (as boates daqui), passando por milongas, clubes de salsa e um calendário de festivais impressionante, Buenos Aires explode mesmo a noite, de preferência a partir das duas da manhã.

Não me perguntem como é que os porteños fazem para trabalhar no dia seguinte nem o que os mantém ligados hasta las mil (ingenuamente, eu diria champagne con speed), mas a verdade é que de domingo a domingo tem gente na farra até o sol nascer.

E no meio disso tudo tem os bares, cenários inevitáveis de prévias ou drinks antes de dormir. Pra você ir direto ao ponto sem erro, convidei um verdadeiro especialista na arte de desbravar a night porteña para compartilhar um roteiro essencial para os barhunters de carteirinha. Com vocês, as dicas de Pablo Manu Lee!

Quantas vezes você já viajou e terminou visitando só os lugares indicados pelos guias turísticos, perdendo a oportunidade de conhecer jóias escondidas nas grandes metrópoles? Estou falando daqueles bares onde se podem encontrar drinques de autor preparados com as melhores matérias-primas por barmen altamente qualificados?

Pablo Manu Lee

Pablo Manu Lee

Se sua resposta superar níveis aceitáveis, Buenos Aires pode redimir esse vexame. Comecemos dando uma volta pela zona mais bem servida de bares na capital argentina, compreendida entre Palermo Soho e o Palermo Hollywood. Separados pela Avendia Juan B. Justo (Johny be good, para os íntimos) o fervo acontece nos arredores da rua Honduras.

Pra começar, chegamos ao Omm (Honduras, 5656). Pra conhecer a essência do lugar, o ideal é aparecer por lá ao redor das 11. Pequeno do tipo aconchegante, suas paredes brancas são temperadas por uma luz amena. Você pode optar por sentar-se em uma das mesas comunitárias de madeira ou mesinhas menores cuidadosamente espalhadas pelo ambiente. A música eletrônica, que varia do deep house ao tribal, é sintonizada a um volume ideal para não atrapalhar o papo, mas, se o assunto for sério, tem sempre a opção de ficar na calçada, ocupada pelos clientes.

As mesas grandes são um convite a socializar, porque a onda aqui é compartilhar. O mesmo se pode dizer aos viajantes solitários que, acomodados no balcão, podem pedir ao próprio dono um drink selecionado no cardápio ou se atrever a dar uma ideia do que é que você curte: ele vai te surpreender com criações inesquecíveis concebidas na hora mesmo. E nem é tão caro!

Meu drink favorito aqui é o mojito de maracujá. Embora esteja na moda por essas bandas, ainda não experimentei um melhor que o do Omm.

Virando a esquina está o Sonoman (Fitz Roy, 1645), o favoritos dos que preferem escutar o bom e velho rock ‘n’ roll. O set list aqui varia de clássicos até novidades nacionais e internacionais do ritmo, que é servido com uma ambientação super bacana.

Enquanto você descobre a fauna local ou bate o cabelo ao sabor dos riffs de guitarra, recomendo um drink que é exclusivo do lugar, apropriadamente chamado Gin Morrison. Vá direto ao balcão, porque o serviço de mesa é meio lento (de qualquer maneira, será difícil encontrar uma vazia).

Belushi, o preferido do under

Belushi, o preferido do under

O povo, numa escala que vai do hipster ao rock ‘n’ roller, se concentra no pátio lateral. É perfeitamente possível ver uns caras de terno e outros vestindo aquela velha camiseta surrada de banda, assim como as mulheres que vão como lhes der na telha. À luz de velas e, como no Omm, música no volume certo, o bar intimista tem uma versatilidade estranha, mas muito bem acabada.

Para dar prosseguimento a esse tour, cruze a linha do trem até o Soho. Essa zona é muito popular e você será tentado por promoters a entrar em outros bares no caminho. Apesar das promoções, entradas grátis, o que seja, não embarque nessa! A nossa próxima parada é o Belushi (Honduras, 5333), um bar ideal para aqueles ao redor de 30 anos ou mais. Você ficará paralizado com o bar dourado da entrada, mas se prestar atenção, existe vida lá no fundo também. Aqui, não tem essa de DJ – uma cantora fabulosa e sua banda fazem covers de Amy Winehouse ou mesmo de Rihanna, mas sempre em versões acústicas inéditas. Peça um champagne 187 da Chandon, que vem numa bela garrafinha em tamanho individual – você verá que se trata de um verdadeiro hit no lugar.

Vale a pena conhecer também o terraço imenso que ocupa o teto inteiro do lugar, em geral, o preferido dos fumantes ou daqueles que desejam tomar um ar olhando as estrelas.

O Belushi é frequentado por figuras como diretor da Playboy argentina, o vocalista da banda alternativa local Mox (eles às vezes também tocam por lá), além de ilustres do under porteño.

Isabel, o top dos tops

Isabel, o top dos tops

Agora, se ideia é conhecer uma Buenos Aires chique no último, minha dica é Isabel (Uriarte, 1664), um dos bares mais top da cidade. Aqui não tem smart casual; vá com sua melhor roupa, sob o risco de ser barrado na entrada. Aliás, a porta diz muito pouco sobre o que você encontrará lá dentro: uma decoração sofisticada mesmo no pequeno pátio traseiro, sem falar dos frequentadores. Esqueça dos pseudo-famosos ou celebridades B, pois o Isabel recebe diariamente modelos de primeira linha tanto masculinos quanto femininos, que dão ao lugar uma atmosfera única com muito estilo e vanguarda. A promoter veterana Gaby Alvarez faz um trabalho incrível, convidando só o creme-de-la-creme local.

Pode ficar no champagne se quiser, mas o barman também pode te preparar algum drinque clássico frutal. Todos os drinques são de boa qualidade, inclusive não é incomum que te perguntem que marca em particular de gin, vodka ou uísque você prefere.

A essa altura, é bem provável que você já esteja mais pra lá do que pra cá. Como já devem ser tipo as duas da manhã, é hora de seguir em frente, seja pra uma boate, seja para descansar no hotel. Você ainda vai me agradecer por essas dicas 😉

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s