♪ ♫ Dizem que sou louco… ♫♪♫

Cristina Kirchner lele

Um dos traços mais distintivos do zeitgeist argentino é uma certa egolatria napoleônica misturada um toque de quixotismo – uma tal postura desafiadora às injustiças do mundo. Cole essa características em um cenário de turbulências econômicas, polarizações políticas e líderes sem papas na língua, e pronto!

Não digo que eles sejam loucos – no atual cenário político brasileiro, qualquer um de nós que se atreva a jogar a primeira pedra imediatamente adquire um imenso telhado de vidro sobre o nosso lábaro estrelado. Mas, juntando as características que mencionei logo acima, o caldo para uma loucurinha aqui e outra acolá é tão fértil quanto as melhores terras pampeanas.

As últimas semanas foram especialmente ricas nesse sentido.

“Mais pobres do que aqui, só na Alemanha!”

A frase não foi dita assim com esses termos, mas a aspas dão conta do recado. Numa conferência na Agência da ONU para a Alimentação e Agricultura (FAO), a Presidenta Cristina Kirchner afirmou que a pobreza na Argentina atinge menos que 5% da população.

A notícia pegou todo mundo de surpresa, muito embora exista um embroglio estatístico no país já faz muito tempo por supostas intervenções do governo ao trabalho do INDEC (o IBGE deles). Entre os números apresentados pelo instituto e aqueles “denunciados” pela oposição, ninguém havia se dado conta que a Argentina estivesse numa situação social tão favorável.

Quando a imprensa saiu a questionar as palavras da Presidenta batendo a cifra com números divulgados pelos países da OCDE, nos demos conta de que a situação social do hermano do sul é melhor do que a da Dinamarca – por assim dizer, um dos países menos desiguais do mundo.

Podia ter sido um deslize, uma má interpretação… Capaz que ela estivesse falando da pobreza extremíssima ou alguma outra categoria mais assertiva; mas não. Logo saíram funcionários, inclusive o insuspeito diretor do INDEC Norberto Itzcovitch, para dizer que as afirmações da Presidenta tinham “sólidos respaldos”. O loquaz chefe de gabinete Aníbal Fernandez foi mais categórico:

“Mesmo que você (jornalista) não goste, a pobreza na Argentina é menor do que na Alemanha (…) basta ver os números da Statistik Bundestag

Ok, ninguém está aqui para contestar o Statistik Bundestag! Mas deve-se dizer que Cristina é pródiga em atitudes polêmicas que, creio eu, todos nós jornalistas sentiremos falta quando ela deixar o poder no final do ano. Que sucessor irá promover uma mega festa para celebrar uma data nacional (comemorando a Revolução de Maio, no último dia 25) e não mencionará o feito histórico nem uma só vez?

O presidenciável Scioli não será… Talvez não exista nenhum político no mundo mais avesso à polêmicas do que ele. Mas talvez Macri, se chegar a ser eleito, dê conta do recado. Supostamente um tecnocrata frio e calculista, ele deu mostras do seu gingado no popular programa do Tinelli (visualize uma jam session de Luciano Hulk e Gugu).

Alguns, entretanto, dirão que loucura mesmo é a sua resistência a aliar-se com o moribundo candidato à Presidência Sérgio Massa. Outrora alardeado como a terceira força política do país, sua trajetória esteve mais para Apolo 13 nos últimos tempos. Mas considerando a tranqueira que será vencer o partido da Presidenta, Frente para la Victoria (FpV), tudo indica que um pas de deux com Massa facilitaria um pouco a sua vida. Conforme vimos, Macri não é bom em solos.

Entretanto, talvez o maior demonstração do desequilíbrio mental de Macri nos últimos tempos tenha sido a afirmação de que “reivindica em 100% as bandeiras peronistas”. Faltou dizer quais e como ele as levantou durante seus últimos oito anos à frente da ‘prefeitura’ da capital federal.

Os outros casos de gente chiflada (na gíria local, lunática) tem tudo menos graça, como um tal juiz, o honorável (só que não) Horacio Piombo que baixou a pena de um estuprador porque a vítima de 6 anos seria supostamente homossexual. Num país que conta com uma das legislações mais avançadas do mundo em direitos LGBT (espero que a sigla esteja atualizada), quem poderia questionar que esse homem se baseou em um devaneio para proferir uma sentença dessas?

Captura de Tela 2015-06-10 às 12.37.52 PM

Outra louca de pedra que deu as caras esses dias foi Cecília Pando, infame ativista da ultradireita argentina que afirma categoricamente que os torturadores da ditadura argentina finalmente condenados por diversos crimes contra a humanidade na última década (inclusive por estupro de militantes mulheres, sem falar assassinatos) são presos políticos e injustiçados. Na convocatória pela marcha Ni Una Menos que protestou contra a violência de gênero e o feminicídio no último dia 3 de junho, Pando irrompeu como defensora dos Direitos Humanos.

Captura de Tela 2015-06-10 às 12.49.15 PM

Não quero nem imaginar quem sejam as criaturas que ‘favoritaram’ o tweet.

Quem acha que é pouco deve ficar de olhos abertos nos próximos meses: o ano eleitoral será um prato cheio para as loucurinhas dos hermanos.

Eu mantenho vocês informados 😉

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s